Leucócitos | Função dos Glóbulos Brancos | Linfócitos e Neutrófilos | Resumo

Os Leucócitos (glóbulos brancos) são organismos completos dentro de si mesmos; cada célula é uma pequena massa de protoplasma que contém um núcleo, enquanto que os glóbulos vermelhos perdem seu núcleo antes de abandonarem a medula dos ossos.

leucócitos

 

Os leucócitos têm a função específica de atacar doenças. Normalmente, no adulto, existem entre 5.000 e 10.000 glóbulos brancos por milímetro cúbico de sangue. Nas crianças, há quase o dobro dessa quantidade.

Tipos de leucócitos

Os leucócitos são células completas, de diferentes formas e tamanhos. Atendendo a suas características e à afinidade que têm com determinados corantes, distinguem-se em dois grupos: Granulócitos e Agranulócitos. Os Granulócitos caracterizam-se pela presença de grânulos microscópicos nas células, sendo que os Agranulócitos não apresentam tais grânulos. A partir desses dois grupos, podemos determinar um subgrupo de leucócitos:

Granulócitos

Basófilos:

Basófilos

É um leucócito importantíssimo para o sistema imunológico do corpo humano, sendo conhecido pela produção de heparina (que apresenta uma ação anticoagulante natural) e a histamina (apresenta ação vasodilatadora), atuando assim contra infecções e alergias. Cerca de 1 a 2% dos leucócitos que compõem o corpo humano são basófilos.

Eosinófilos

Eosinófilos

Também conhecidos como acidófilos (pois fixam-se através de corantes ácidos), são as células que promovem a defesa contra os parasitas multicelulares e infecções virais, administrando e regulando alergias, asmas, etc.

Neutrófilos

Neutrófilos

São leucócitos que atuam na defesa do organismo contra fungos e bactérias. São as células mais numerosas do sistema, representando cerca de 50 a 70% da quantidade total de leucócitos. Os neutrófilos são leucócitos que se utilizam da fagocitose para promover a proteção do organismo contra vírus e outros corpos estranhos.

Agranulócitos

Linfócitos

Representam entre 20 a 30% do da quantidade de leucócitos. É dividido em três tipos:

  • NK (“Natural Killers”, protegem o hospedeiro de infecções virais e tumores, exterminando as células hostis através da liberação de grãos citotóxicos);
  • Linfócitos T: Também conhecidos como Timócitos, esse tipo de linfócito é responsável pelaLinfócitos imunidade celular. Uma vez programado para combater determinado vírus, tal linfócito passa a combate-lo para sempre, resultando em imunidade do organismo contra esse vírus.
  • Linfócitos B: Produzem anticorpos (imunoglobinas) contra substancias que possam entrar no organismo (vírus, bactérias, etc). Essas células possuem a propriedade de reconhecimento de uma determinada ameaça caso venha a encontra-la na corrente sanguínea, clonando-se para iniciar o processo de defesa.

Monócitos

São leucócitos que atuam na proteção dos tecidos, mantendo-os protegidos contra ameaças,Monócitos como vírus ou bactérias. Formam-se na medula óssea e, após passar para a corrente sanguínea, atravessam as paredes dos vasos sanguíneos e migram para os tecidos conjuntivos, convertendo-se em macrófagos.

Os macrófagos são células de grande diâmetro, apresentando núcleo central. São conhecidos como as “células da limpeza”, pois sua principal ação no organismo é promover a limpeza de fragmentos de tecidos e células, micro-organismos inertes ou mesmo células tumorais.

Morfologia dos leucócitos

Nem todos esses corpúsculos sanguíneos são iguais; os mais numerosos são os granulócitos, os quais, como os glóbulos vermelhos, originam-se na medula óssea. Os linfócitos são produzidos no baço e nos nódulos linfáticos.

Os leucócitos atuam como “varredores”, podendo arrastar as bactérias, os materiais a serem eliminados e os tecidos mortos de zonas lesadas ou infetadas. Os linfócitos intervêm na criação de anticorpos. Contando o número de leucócitos, fica-se sabendo se o mecanismo de defesa do organismo está em condições de funcionar, pois em caso de infecção o número de glóbulos brancos deverá aumentar.

leucócitos-sangue

Em um milímetro de sangue há cerca de 7.000 leucócitos, dos guais 65% são neutrófilos, 3% eosinófilos, 1% basófilos, 25% linfócitos e, 6% monócitos. Os três primeiros (chamados granulócitos) derivam dos mieloblastos, que são encontrados, extra vascularmente, na medula óssea. Os leucócitos possuem o raro poder de sair e entrar na corrente sanguínea à vontade.

Os linfócitos formam-se a partir dos linfo blastos, no tecido linfoide dos gânglios linfáticos e no baço. Os monócitos parecem ter origem no sistema retículo-endotelial disseminado por todo o organismo. Os leucócitos intervêm nos mecanismos de defesa do organismo graças a sua atividade fagocitária e ao papel que desempenham nos processos imunológicos.

Fagocitose

Geralmente os leucócitos são de forma quase esférica, mas variam em tamanho, sendo algumas menores que os glóbulos vermelhos e outras maiores. Os leucócitos movem-se livremente na corrente sanguínea e mais rapidamente, quando necessário.

Seu número diminui quando o organismo está em repouso e aumenta durante os períodos de atividade. Quando alguma infecção está em desenvolvimento no organismo, os leucócitos multiplicam-se em grande número e são imediatamente enviados aos tecidos afetados, onde absorvem e digerem as bactérias ou qualquer outro material estranho.

fagocitose
Processo de fagocitose

Esse processo, chamado fagocitose, que consiste em devorar células menores ou germes, é levado a cabo pelos glóbulos brancos chamados fagócitos. Este termo significa ingerir células. Na pneumonia, por exemplo, foram encontrados até 60.000 glóbulos brancos por milímetro cúbico de sangue. Um dos primeiros sintomas da apendicite é o aumento anormal do número de glóbulos brancos.

Tal propriedade serve como uma das indicações de infecção mais dignas de crédito, ajudando a confirmar diagnósticos de doenças infecciosas. A formação de pus é devida não apenas aos tecidos doentes e às bactérias, mas também, em grande parte, aos glóbulos brancos destruídos na área infetada.

Anormalidades provenientes dos leucócitos

A Leucemia constitui uma das perturbações sanguíneas mais graves. Em sua forma aguda, é a enfermidade do sangue que leva mais rapidamente à morte se não tratada. Produzem-se repentinamente leucócitos que amadurecem anormalmente e podem aparecer em grandes quantidades no sangue e na medula dos ossos.

sangue-exame

A superprodução de células leucêmicas abarrota a medula, que fica impossibilitada de produzir plaquetas e glóbulos vermelhos. A ausência de plaquetas produz graves hemorragias que, por sua vez, conduzem à anemia. Parte da anemia é devida à produção insuficiente de glóbulos vermelhos.

De forma aguda é mais frequente nas crianças do que nos adultos. São muitas as drogas que ajudam a controlar, pelo menos durante certo tempo. Algumas delas, como a cortisona, ajudam a controlar a tendência às hemorragias e podem ter efeito direto sobre a medula óssea, mas são muito tóxicas e só devem ser administradas sob atenta vigilância de um hematologista.

Leucócitos – os glóbulos brancos do sangue

  • Continue aprendendo sobre o SANGUE