Tonsilas Palatinas | Amigdalas | Qual a Função | Anatomia

A seguir, aprenderemos tudo sobre as amigdalas (também conhecidas como tonsilas palatinas). Qual a sua função no corpo humano, anatomia e histologia em um resumo completo.

amigdalas-tonsilas-palatinas

Função das amigdalas / tonsilas palatinas

A função das amigdalas (tonsilas palatinas), localizadas no palato, é a de promover o combate a bactérias e corpos estranhos que tentam adentrar no organismo pela via oral. Trabalhando em conjunto com o sistema imunológico do corpo humano, contribui para o desenvolvimento de anticorpos que protegem o organismo.

Anatomia das tonsilas palatinas

As tonsilas palatinas são massas ovoides de tecido linfático estão engastadas, e portanto espessam, na lâmina própria da membrana mucosa que se estende entre os arcos palatoglosso e palato-faríngico. O epitélio aqui é do tipo estratificado escamoso não queratinizado e aprofunda-se no tecido linfático subjacente para formar 10 a 20 pequenas depressões glanduliformes (criptas primárias) em cada tonsila palatina.

O epitélio estratificado escamoso, que reveste as criptas primárias, pode estender-se para dentro do tecido adjacente para formar criptas secundárias. Tanto uma quanto outra pode estender-se suficientemente fundo para atingir os limites externos da tonsila.

O tecido linfático na tonsila palatina é arranjado principalmente junto do epitélio; fica diretamente abaixo do epitélio de revestimento e estende-se ao longo dos lados das criptas. Consiste de nódulos primários, com ou sem centros germinativos, que podem estar tão juntos que se fundem, uns aos outros, ou podem estar separados por tecido linfático frouxo. Além de linfócitos há, neste tecido, muitos plasmócitos.

Funcionamento das tonsilas palatinas

O tecido das tonsilas palatinas é  disposto junto do início do tubo digestivo e do sistema respiratório parece estar destinado à função de sentinela, à espreita de agentes infectantes contra os quais devem ser feitos anticorpos o mais cedo possível.

Entretanto, esta é uma ocupação arriscada e, frequentemente, os agentes infectantes conquistam as sentinelas e tomam-se tão bem estabelecidos nas amigdalas que estas têm que ser removidas. Os nódulos primários podem estar muito próximo do epitélio das criptas.

Muitos linfócitos, formados nas tonsilas palatinas, deixam-na por migração através do epitélio das criptas. Os linfócitos podem infiltrar de tal maneira o epitélio que se torna difícil estabelecer sua margem profunda. Os linfócitos que escapam formam corpos degenerados na saliva chamados corpúsculos salivares.

Glândulas acham-se associadas com as tonsilas palatinas, mas seus dutos abrem-se ao lado dela e não dentro das criptas; daí, as criptas não serem lavadas, como o são na tonsila lingual, e os detritos poderem acumular-se nelas e predispô-las para as infecções.

Anatomia e função das amigdalas (tonsilas palatinas) – Resumo

Continue aprendendo sobre o PALATO DURO/PALATO MOLE

Gostou desse artigo sobre as amigdalas? Compartilhe!