Néfrons | Anatomia, Função e Fisiologia | Resumo

Os néfrons – túbulos epiteliais com um glomérulo de capilares invaginado nas suas extremidades cegas – são as unidades estruturais e funcionais dos rins.

néfrons

O suprimento sanguíneo de suas diferentes porções é estabelecido de tal modo que, no que concerne à produção de líquido, os capilares dos glomérúlos funcionam ao longo de seus comprimentos totais como o fazem somente as extremidades arteriais de capilares da maioria das regiões do corpo.

Os capilares dos glomérulos (conhecidos como glomérulos de Malpighi) envolvem a cápsula de Bowman, onde juntos formam o corpúsculo renal que compõem um néfron, assim como os túbulos renais.

Função dos néfrons

A função dos néfrons no corpo humano é realizar a filtragem das substâncias que deverão ser expelidas do organismo e as que serão reaproveitadas. Para isso, filtra-os do plasma sanguíneo.

Os resíduos a serem eliminados, assim como o excesso de água, são absorvidos pela cápsula de Bowman. O líquido absorvido pela capsula de Bowman (filtrado glomerular) fica ali armazenado para posteriormente ser conduzido pelos túbulos renais e iniciar a produção da urina.

Funcionamento

No que respeita a reabsorção de líquido tecidual, os capilares que circundam as porções tubulares dos néfrons estão dispostos de modo tal que eles funcionam, ao longo de seus comprimentos totais, como o fazem somente as extremidades venosas dos capilares da maioria das partes do corpo.

Todavia, não se deve pensar que a relativamente baixa pressão hidrostática e a alta pressão osmótica do sangue nos leitos capilares que circundam as porções tubulares de néfrons sejam os únicos fatores relacionados com o processo de reabsorção.

Se o fossem, a parede do túbulo deveria desempenhar nenhuma função a não ser a de como uma membrana dialisadora seletiva e, para esta única finalidade, ela não necessitaria ser mais do que uma fina membrana.

Fisiologia dos néfrons

Como veremos, somente uma parte de cada um dos néfrons tem uma parede suficientemente fina para sugerir que sua única função é a de servir como uma membrana dialisadora seletiva.

Na maior parte de extensão dos néfrons, suas paredes, embora com a espessura de uma só célula, são compostas de células de espessura substancial, um fato sugerindo que estas células realizem um trabalho vital adicional, a maior parte do qual é relacionada com a absorção de substâncias úteis do mesmo e, a menor parte, com a exceção de certas substâncias contra um gradiente de difusão no lume dos néfrons.

Anatomia dos néfrons

segmentos-dos-néfrons

As várias funções de reabsorção e de excreção especializadas desempenhadas pela porção tubular dos néfrons não são desempenhadas com igual facilidade ao longo de todo seu comprimento. A porção tubular de cada um exibe três aspectos estruturais diversos e desempenha funções algo diferentes. Estes são denominados:

  • Segmentos contorcido proximal;
  • Alça de Henle;
  • Segmento contorcido distal.

Segmento contorcido proximal

A maioria dos néfrons é tão longa que é se adaptam somente porque possuem um trajeto tortuoso. Todos começam no córtex; portanto, os glomérulos estão todos localizados no córtex.

O segmento dos néfrons que sai dum glomérulo possui paredes bem espessas e segue um decurso em alças e muito tortuoso no tecido cortical que está próximo ao glomérulo.

Esta parte, por óbvias razões, é denominada segmento ou túbulo contorcido proximal. No seu segmento seguinte dirige-se para a medula do rim e apresenta, nesta, um trajeto retilíneo. Após ter descido por uma certa distância na medula, ele forma uma alça e volta com um trajeto retilíneo em direção ao glómérulo.

Alça de Henle

Alguns néfrons, cujos glomérulos se encontram na parte externa do córtex formam sua alça antes de, realmente, alcançar a medula. O segmento dos néfrons que constitui a alça na ou em direção à medula é denominado alça de Henle.

Cada alça tem um ramo descendente e outro ascendente. Na parte inferior do ramo descendente, a parede epitelial que, por sua vez, até este ponto, é relativamente espessa, torna-se muito fina e, a seguir, no ramo ascendente, espessa-se novamente.

O ramo ascendente de alça de Henle ao alcançar o glomérulo dos néfrons curva-se de modo a tocar sua raiz, entre a área de entrada do vaso aferente e a de saída do eferente. A porção da parede do túbulo que entra em contato com a raiz glomerular apresenta-se densamente nucleada e constitui uma espessa mancha conhecida como macula densa.

Segmento contorcido distal

O segmento dos néfrons que se segue à mancha densa é conhecido como túbulo contorcido distal. Este segue um decurso ligeiramente tortuoso no tecido cortical vizinho. A seguir, ele se continua com um pequeno ramo colateral de um dos elementos de um sistema de ramificação de longos e retos túbulos coletores que descem do córtex para a medula onde se abrem na sua ponta denominada papila renal.

Anatomia e funções dos néfrons

Continue aprendendo sobre os RINS

Gostou desse artigo sobre os néfrons? Compartilhe!