Coração Humano | Anatomia e Função | Como Funciona | Resumo

O coração humano é um músculo oco que atua como centro motor do sistema circulatório. Apresenta a forma de uma pera, possui o tamanho de um punho e pesa cerca de 255 g. Situa-se no tórax, entre ambos os pulmões, com seu vértice ou extremo menos volumoso voltado para baixo, apontando para a esquerda, aonde podem sentir-se suas batidas.

coração

 

Histologia do coração humano

O coração humano encontra-se encerrado em um saco fibroso, o pericárdio, que contém uma pequena quantidade de líquido lubrificante, graças ao qual se elimina a possibilidade de fricção na zona. O pericárdio mantém ainda a posição adequada da víscera nas mudanças de posição e limita sua dilatação.miocardio-pericardio-endocardio

Sob o pericárdio encontra-se o miocárdio, grossa parede muscular, responsável pelas contrações e expansões do coração humano. O interior deste acha-se totalmente atapetado por uma suave membrana, o endocárdio, que é continuação do revestimento interno dos vasos sanguíneos, nos quais recebe o nome de endotélio.

Sua atividade é espontânea e rítmica, isto é, auto estimulada a intervalos regulares. Não obstante, a frequência e a força de suas contrações de determinadas influências do exterior, como a temperatura, as concentrações iônicas e a chegada de impulsos nervosos ao coração; em nenhum caso, no entanto, se pode modificar a atividade do órgão por um esforço voluntário.

Outra importante propriedade do miocárdio é ter um período refratário muito longo, isto é, não é excitável até depois de haver transcorrido a fase de contração, o que se adapta às características funcionais do coração, que trabalha como uma bomba aspirante-impelente.

Aprenda mais sobre o MIOCÁRDIO

Anatomia do coração humano

O interior do coração humano divide-se em duas cavidades principais semelhantes na estrutura, porém sem comunicação entre si. Cada uma delas contém por sua vez duas câmaras: por cima, aurícula, de delgadas paredes, que recebe o sangue vindo ao coração; e, por baixo, um ventrículo, de grossas paredes musculares, que bombeia o sangue para o exterior. Cada uma destas câmaras está dotada de válvulas dispostas de tal modo que o sangue só pode mover-se em uma direção.

coração-anatomia

As quatro atuam em uníssono, graças a isso e à sua capacidade de expandir-se e contrair-se sem repouso, o caudal sanguíneo acha-se em perpétuo movimento no organismo. A espessura das paredes das quatro cavidades do coração humano guarda relação com o trabalho que devem desenvolver. Assim, os átrios, que atuam como simples bombas auxiliares, completando o enchimento dos ventrículos imediatamente antes de sua contração, são de paredes delgadas.

A resistência oferecida pelos vasos pulmonares à circulação do sangue é relativamente pequena e, em consequência, as paredes do ventrículo direito não são muito grossas. Em contraste, o ventrículo esquerdo lança o sangue por uma complexa rede de tubos que cobre todo organismo e, por este ramo, a espessura de suas paredes é muito maior.

Como funciona o coração humano

Como dito anteriormente, o coração humano apresenta quatro cavidades. Cada átrio se comunica com seu ventrículo correspondente através de uma válvula (tricúspide no lado direito e mitral no esquerdo); porém, nem os átrios nem os ventrículos se comunicam entre si. O sangue (venoso) proveniente da circulação geral entra no átrio direito pelas veias cavas, e o que vem dos pulmões (sangue arterial) desemboca no átrio esquerdo através das veias pulmonares. circulação-pulmões

O ventrículo direito impele o sangue venoso para os pulmões depois de forçar a válvula semilunar, que guarda a entrada da artéria pulmonar; da mesma forma, o sangue arterial sai do ventrículo esquerdo pela aorta e se distribui entre todos os vasos da circulação geral.

Depois de circular por todo o corpo o sangue penetra na aurícula direita, conduzido pelos grandes vasos chamados veias cavas. A aurícula se contrai então e obriga o sangue a passar pela válvula tricúspide ao ventrículo direito, que por sua vez o impulsiona através da válvula pulmonar para a artéria pulmonar e os pulmões.

Neles, o sangue deixa seu dióxido de carbono, recolhe oxigênio e retorna à aurícula esquerda pelas veias pulmonares. Desta aurícula o sangue oxigenado passa pela válvula mitral ao ventrículo esquerdo, que se contrai e o envia, através da válvula aórtica, às artérias encarregadas de levá-lo a todo o corpo.

Ventrículo esquerdo – a bomba principal do coração humano

O ventrículo esquerdo, como se vê, assume o papel de bomba principal, possui, por isso, parede muscular mais forte. As duas aurículas contraem-se ao mesmo tempo, em movimento denominado sístole auricular; esta contração obriga o sangue a passar aos ventrículos com o que as aurículas se relaxam dando lugar à diástole ou dilatação.

Durante a última parte da diástole auricular e todo o período da sístole, os ventrículos permanecem relaxados e armazenam sangue; é a diástole ventricular.

coração-interno
Anatomia interna do coração

Imediatamente antes de terminar esta última as aurículas começam a contrair-se de novo enviando mais sangue aos ventrículos. Neste ponto, a pressão no interior dos ventrículos aumenta, e quando ela excede a pressão nas grandes artérias, que se abrem para eles, contraem-se dando lugar à sístole ventricular.

Abrem-se as válvulas que se comunicam com as artérias e o sangue penetra no sistema arterial. Esta série regular de contrações e relaxamentos rítmicos e de movimentos valvulares síncronos do coração humano recebe o nome de ciclo cardíaco. Os ventrículos permanecem relaxados durante mais tempo que as aurículas, coisa muito lógica tendo-se em conta que eles desenvolvem o trabalho de bomba.

Ritmo cardíaco

O exercício e o estímulo emocional originam palpitações ao aumentar o volume do sangue ou o ritmo das batidas do coração humano. As palpitações constituem finalmente, um dos sintomas da anemia, da tireotoxicose, da angina do peito e de muitos outros processos em que se registra ritmo cardíaco irregular.

Normalmente o coração humano bate à razão de 70 ou 80 pulsações por minuto, ritmo que mantém durante toda a vida. Sob tensão emocional ou física, ou ao experimentar um sobressalto, o ritmo se acelera até ultrapassar, às vezes, 100 batidas por minuto. Durante o sono e, nos períodos de relaxamento, as pulsações diminuem de frequência.ritmo-cardiaco

Em uma vida de 70 anos, o coração humano bate pouco menos de três milhões de vezes e bombeia cerca de vinte e três (23) milhões de litros de sangue.

A pressão do sangue nas artérias constitui um dos sinais mais significativos de função cardíaca. Utilizam-se vários instrumentos para detectá-la, especialmente o esfigmomanômetro que mede a pressão sanguínea nas artérias. Ao contrair-se, o coração humano produz em seus tecidos correntes elétricas bastante fortes para alcançar a superfície do corpo, podendo ser medidas com instrumentos elétricos especiais.

O eletrocardiógrafo, por exemplo, registra essas correntes numa fita quadriculada, chamada eletrocardiograma, que recolhe as contrações e relaxamentos do coração e revela qualquer anormalidade já que o registro normalmente apresenta um aspecto gráfico característico. O eletrocardiógrafo é usado amplamente no diagnóstico das enfermidades do coração humano.

Débito cardíaco

Saiba mais sobre o DÉBITO CARDÍACO

Anatomia do coração humano – Resumo

Para saber mais sobre alimentação e costumes para a manutenção da boa saúde do coração humano, sugerimos uma visita ao site da Sociedade Brasileira de Cardiologia.